Dolorido, Oswaldo diz que diretoria coloca por terra o que daria certo
Estilo News
10 de Junho de 2015 às 07h21min
Dolorido, Oswaldo diz que diretoria coloca por terra o que daria certo

Oswaldo de Oliveira surpreendeu a imprensa ao aparecer na sala de entrevistas da Academia de Futebol minutos após o presidente Paulo Nobre explicar sua demissão. E o técnico não poupou críticas à diretoria, que, em sua opinião, caiu em uma atitude regular do futebol brasileiro de dispensar treinadores e interrompe um trabalho que teria sucesso no Palmeiras.

 

“Lamento muito a interrupção do trabalho. Mais uma vez, fica uma lacuna, uma expectativa e uma interrogação porque é um trabalho interrompido. Um trabalho com base, experiência, conhecimento de causa e que, infelizmente, não vai progredir. Foi por terra tudo que eu acreditava e que daria certo. Teríamos um final muito feliz. Pela minha experiência e qualidade dos jogadores, sem a menor dúvida conseguiríamos. Como quem vier conseguirá”, apostou Oswaldo, falando até me falta de inteligência na opção pela rescisão do contrato que duraria até dezembro

“Abruptamente, interrompem um trabalho porque outros motivos se sobrepõem. Não tenho conhecimento profundo do Palmeiras porque não tive tempo para isso, mas a carga emocional que circunda o clube, a órbita de muita pressão desequilibra quem dirige e não sustenta o que é racional e óbvio que deveria permanecer”, indicou.

Oswaldo foi vice-campeão paulista perdendo para o Santos nos pênaltis e indicou a “ressaca” pela perda do título como um dos motivos para o péssimo início de Campeonato Brasileiro, com apenas uma vitória em seis rodadas. Até rebateu quem contestou sua capacidade de reverter a situação diante das péssimas apresentações recentes do time.

“O Palmeiras, sob meu comando, conseguiu mais resultados positivos do que negativos, principalmente se compararmos com as últimas trajetórias do clube. Reconheço que sucinta dúvidas por partidas que não foram bem sucedidas, mas, se ninguém vai falar, eu digo: a minha trajetória, para não ser muito formal e falar em currículo, prova que, diante das adversidades, conseguimos dar a volta por cima, contornar e realizar trabalhos convincentes e vencedores. Isso deveria ter sido levado em consideração”, cobrou, sentindo-se até perseguido.

“Uma pessoa com o comportamento como o meu causa antipatia pela franqueza e forma que conduzo as coisas, sem nenhuma permeabilidade de influências. Faço meu trabalho reto, correto, independentemente de torcida, diretoria, imprensa, empresários. Isso não comove muitos setores que norteiam nosso futebol normalmente”, apontou, admitindo que tinha pedido paciência recentemente aos dirigentes, tentando evitar a demissão

“Conversei bastante com o presidente Paulo Nobre. Reconheço as alegações dele e espero que perdure a amizade, porque é uma pessoa diferenciada no futebol, ética, um dirigente como nunca vi no futebol. Na semana passada, até fui à diretoria para pedir paciência. Mas, por motivos superiores às possibilidades deles, não conseguiu manter o que deveria nortear o futebol: a manutenção do trabalho”, falou o técnico, que passou a segunda-feira de folga no Rio de Janeiro, acompanhando o nascimento da primeira neta e, também, as especulações de sua saída do Verdão.

“Ninguém me avisou por telefone, tiveram uma conduta digna neste aspecto. Neste aspecto. Mas esse coloquial de facilitar esse tipo de coisa, de a cada vez que perde colocar uma coroa de espinho no treinador está ficando muito regular, muito pobre para o meu gosto. Definitivamente, precisamos ter uma postura diferente”, apontou, sorrindo apenas ao falar da neta, sem esconder a tristeza pela dispensa.

 

 

 

“A ficha não caiu ainda. É difícil interromper dessa forma, com tantas expectativas e planos que fizemos. Depois de 40 anos, posso muito bem voltar a aula, fazer alguma coisa e não seria danoso. Estive aqui por amor a profissão e ao projeto. Mas sempre respeitei muito a hierarquia e as pessoas acima do meu comando e forças superiores impedem a minha continuidade. É muito doloroso. Está doendo a minha herpes, a minha úlcera e o calombo que cresce na omoplata”, indicou.

Envie seu Comentário
Atenção! O Estilo News não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Nome:* (obrigatório)
Email:* (não será divulgado)
Comentários:* (seu comentário será moderado)
 
 
2015 © - Estilo News - Todos os direitos reservados.
Estilo News.com.br
E-mail:toniazzoproducoes@hotmail.com
Endereço: Rua Eduardo Trindade, nº 638 - Jardim Trindade e Nunes
Cep: 79.130-000 - Rio Brilhante/MS
Telefone da Redação: (67) 3452-3313



 
 
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos seus autores.


Desenvolvido por: Webecom