Prefeito diz ser vítima de armação polític
Estilo News
22 de Abril de 2016 às 14h03min
Prefeito diz ser vítima de armação polític

Douradosnews

O prefeito de Itaporã, Wallas Milfont (PDT), disse ter sido vítima de armação política. Ele foi afastado do cargo pela Justiça por 180 dias em decisão tomada na tarde de quarta-feira (20) pelo crime de improbidade administrativa por um suposto direcionamento de licitação em contrato de agência de publicidade em dezembro de 2014 e que desencadeou na Operação Layout, em julho do ano passado

Além do prefeito, os servidores públicos Wagner Leite Fortes e Letícia Borloffa Rodrigues também foram afastados.

Segundo nota à imprensa divulgada na página oficial da prefeitura, uma pessoa, a qual o chefe do Executivo declara ser seu inimigo político, teria feito a denúncia ao MPE (Ministério Público Estadual). Ainda conforme a administração local, ele teria participado do julgamento da licitação.

"O caso repercutiu porque Rafael Campos, que foi um dos três jurados que julgaram a contratação da agência de publicidade, se auto acusou de ter direcionado, a mando do Prefeito, a licitação para contratação de uma agência de publicidade para trabalhar em favor do Município, informando à população as ações institucionais realizadas pela Prefeitura", diz trecho da nota - [confira abaixo na íntegra].

Conforme o relato da atual administração, assim que ficou sabendo da denúncia, o prefeito teria cancelado o contrato, "porque, primeiro, não houve um real gasto pela Prefeitura de Itaporã no contrato denunciado, o que ficou claro no processo porque nem o Promotor de Justiça, que acusa, discriminou valor a ser eventualmente devolvido (...), porque tão logo tomei conhecimento da denúncia do meu inimigo político Rafael Campos na Promotoria de Justiça, já determinei a anulação da licitação e do contrato, antes de qualquer gasto com a empresa vencedora da licitação".

Já em relação à decisão liminar, Wallas Milfont disse que se sente surpreso e vitimado. Ele teve decretado pela Justiça, além do afastamento da função, também da indisponibilidade dos bens.

A decisão pelo afastamento por 180 dias do prefeito foi dada pelo juiz Raul Ignatius Nogueira, que acatou a denúncia do MPE (Ministério Público Estadual) de improbidade administrativa e deve ser notificado nos próximos 15 dias.

Veja nota na íntegra

O caso repercutiu porque Rafael Campos, que foi um dos três jurados que julgaram a contratação da agência de publicidade, se auto acusou de ter direcionado, a mando do Prefeito, a licitação para contratação de uma agência de publicidade para trabalhar em favor do Município, informando à população as ações institucionais realizadas pela Prefeitura.

Ciente através de noticiários na imprensa, e mesmo sem estar citado oficialmente pela justiça, o Prefeito de Itaporã Wallas Milfont não concordou com a decisão do Juízo da Comarca de Itaporã, proferida no dia 14 de abril, e publicada no final da tarde desta quarta-feira (20), "porque, primeiro, não houve um real gasto pela Prefeitura de Itaporã no contrato denunciado, o que ficou claro no processo porque nem o Promotor de Justiça, que acusa, discriminou valor a ser eventualmente devolvido; diferentemente da Ação de Improbidade Administrativa da creche do Jardim Santa Terra que pede a devolução de mais de R$ 650.000,00 apurados na investigação; e, segundo, porque tão logo tomei conhecimento da denúncia do meu inimigo político Rafael Campos na Promotoria de Justiça, já determinei a anulação da licitação e do contrato, antes de qualquer gasto com a empresa vencedora da licitação, o que acarreta a não existência do processo de licitação e do contrato denunciado. Portanto, se não existe licitação, não existe contrato e muito menos gasto de dinheiro e, consequentemente, não existe nenhum prejuízo aos cofres do Município, porque razão afastar o prefeito eleito regularmente pelo povo, em vésperas de novas eleições? Isso é injustiça e, por isso, vamos recorrer para defender o direito dos 6.613 eleitores que deram a vitória nas eleições de 2012".

O Prefeito Wallas declarou que a Justiça foi levada a erro por uma armação política que vem orquestrada pelos adversários políticos desde quando assumiu seu posto de Prefeito. "É sabido de todos que nossa vitória nas eleições de 2012, nunca foi "engolida" pelos nossos adversários, que governaram o Município desde 2005 até 2012 e deixaram um rombo de mais de R$ 6.500.000,00 nos cofres da Prefeitura de Itaporã, em dívidas de água R$ 2.300.000,00 (Sanesul); energia elétrica R$ 640.000,00 (Enersul); Previdência Social (INSS) - R$ 2.100.000,00; PASEP - R$ 390.000,00; ITAPREV - R$ 930.000,00; Médicos - R$ 189.000,00 e outras". Wallas declarou, ainda, que tem plena certeza que o processo de licitação foi conduzido regularmente e que não houve nenhuma irregularidade, mas tão somente uma acusação falsa de seu desafeto político Rafael Campos a mando de adversários políticos.

*"O Rafael Campos me enviou mensagem, via whatsApp, no dia 31.12.2014, por volta das 20h, zombando por causa da proibição de queima de fogos de réveillon no calçadão. E nessa mesma conversa, me disse: "eu não sou bandido, mas procure saber o que eu fiz pela agência". Ora, se era para eu procurar saber o que ele havia feito, como Rafael poderia me acusar de ter cometido irregularidades na licitação que encerrou em novembro de 2014? Daí o porquê de o depoimento dele, feito em março de 2015 na Promotoria de Justiça de Itaporã, não passar de uma armação política e por isso eu representei contra Rafael Campos na Polícia Civil por denunciação caluniosa, a qual aguarda o desfecho das investigações."

Com base na decisão liminar, o prefeito Wallas Milfont se sente surpreso e vitimado pela decisão, haja vista que teve decretado o afastamento da função e a indisponibilidade dos bens, com base em uma armação política e, principalmente, já que não houve nenhum dano ao erário público, pois foi diligente ao tomar conhecimento da denúncia no MPE, sobre possível direcionamento de processo licitatório, decretando as anulações da licitação e do contrato administrativo de agência de publicidade.*

Wallas também ressalta que em nenhum momento dificultou as investigações, pois quando solicitado, foi encaminhado todos os documentos ao Ministério Público Estadual. E quando da vinda do Gaeco no município, os agentes levaram cópias dos mesmos documentos que já integravam o processo, uma vez que nesse caso do processo licitatório da agência de publicidade, o Promotor de Justiça foi convidado para participar, ou mandar um representante do Ministério Público Estadual, o que não foi feito.

Tranquilo por não ter cometido nenhuma irregularidade, Wallas Milfont continua Prefeito do Município, porém ficará afastado das funções administrativas até nova decisão que venha determinar seu retorno à função, pois sua assessoria jurídica estará entrando com recursos no Tribunal de Justiça do Estado.

O prefeito ainda destacou que não tem dúvidas que essa ação é uma questão política, pois o denunciante é declaradamente um inimigo político, e os grupos de oposição não aceitam a ascensão de um homem de raízes simples, que veio para ajudar a construir uma Itaporã melhor para todos, inclusive, ontem (20.4.2016), fechou as conquistas de emendas parlamentares junto aos Deputados Estaduais no valor de R$ 493.000,00 para esse ano (2016), para aquisição de um micro ônibus para a saúde transportar pacientes para Fátima do Sul e Campo Grande; carros para atender o CRAS e o CREAS; Academias ao ar livre; parques infantis, equipamentos para o Projeto dos Idosos, aquisição de fardas para a Guarda Mirim e materiais pedagógicos para as escolas.

 

O prefeito Wallas finalizou dizendo: "Apesar de todos os insultos e perseguições sofridos por mim, vindos de algumas pessoas sem caráter e hombridade, o que poderia me desmotivar de lutar por Itaporã, sinto-me fortalecido para lutar cada vez mais contra essas pessoas que tentam voltar ao poder público a qualquer custo, sem respeitar as pessoas. Sei que sofrerei muitas outras perseguições por escolher defender Itaporã dessas pessoas, mas não temerei e, com certeza, no final seremos vitoriosos, como estamos sendo até hoje com o progresso que estamos deixando em nossa cidade nas parcerias construídas em prol do povo".

Envie seu Comentário
Atenção! O Estilo News não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Nome:* (obrigatório)
Email:* (não será divulgado)
Comentários:* (seu comentário será moderado)
 
 
2015 © - Estilo News - Todos os direitos reservados.
Estilo News.com.br
E-mail:toniazzoproducoes@hotmail.com
Endereço: Rua Eduardo Trindade, nº 638 - Jardim Trindade e Nunes
Cep: 79.130-000 - Rio Brilhante/MS
Telefone da Redação: (67) 3452-3313



 
 
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos seus autores.


Desenvolvido por: Webecom